Pesquisar
Pesquisar
Close this search box.

Dahua anuncia plataforma para criação e treinamento de algoritmos

Com a plataforma, em um dia, o programador consegue criar algoritmos que coletam imagens para que o treinamento - feito por deep learning - seja finalizado.

Loading

A Dahua Technology anuncia plataforma para criação e treinamento  de algoritmos – o Jinn. A novidade foi criada para que os parceiros Dahua possam criar algoritmos personalizados que se encaixam nos contextos e necessidades específicas de cada organização. O sistema já está em uso na China, na sede da multinacional, e estará disponível ao mercado brasileiro em novembro. 

A plataforma foi desenvolvida a fim de acelerar o tempo das empresas na criação e treinamento de algoritmos. Em termos comparativos, sem a utilização da plataforma Jinn, uma equipe técnica precisaria de uma equipe de programadores durante 2 a 3 meses para programar e treinar os algoritmos necessários para um projeto. Com a plataforma, que funciona em um modelo low code, basta um programador trabalhando por um dia para criar algoritmos e, com o tempo e mais amostras, evoluir o sistema. Devido ao Jinn, a Dahua consegue disponibilizar mais autonomia e facilidade de inovação.

“Nós possuímos cerca de 8.000 algoritmos criados para uso de parceiros – o que é um número bastante expressivo – e mesmo assim percebíamos que eles ainda não eram suficientes para suprir os mais variados contextos de nossos clientes. Com objetivo de solucionar este problema e atender a esta demanda e trazer mais inteligência para o mercado, estamos lançando a plataforma Jinn” – Wender Hortelan, coordenador de pré-vendas da Dahua. 

Os algoritmos podem ser utilizados nos mais diversos ambientes onde possuímos câmeras, que vão desde ações simples do cotidiano, como descobrir quantos produtos estão sujos em uma louça de pia, ou até para verificar se todas as etapas da manutenção de um carro estão sendo feitas de forma correta.

“As possibilidades são infinitas. Basta o programador abastecer o Jinn com imagens e vídeos de boa qualidade e promover o treinamento da ferramenta para a aplicação que ele quer”, complementa Hortelan. 

Ao ser criado, o algoritmo irá facilitar a coleta de mais imagens para que o treinamento – que é realizado a partir de deep learning dentro da plataforma JInn – seja finalizado. Com este recurso, o programador vai carregando as imagens na plataforma e ensinando o que é cada objeto inserido. Assim, quanto mais imagens são colocadas no sistema, melhor será a entrega do resultado da aplicação. 

“A plataforma pode ser utilizada em todas as verticais, já que ela se adequa à necessidade de cada caso, mas destaco sua utilização em educação, varejo, mineração e smart cities. Um exemplo de seu uso para cidades inteligentes é verificar, à distância, se existe algum ponto de alagamento ou lixo acumulado nas ruas. Outra aplicação que estamos desenvolvendo é um algoritmo de comportamento humano que trará mais agilidade para socorrer pessoas em perigo”, finaliza o coordenador. 

Já existem diversas empresas de criação de algoritmos em nosso país, mas um sistema específico para criação de algoritmos a terceiros é uma novidade no Brasil. A plataforma Jinn estará disponível a partir de novembro, sendo indicado a organizações de todos os tamanhos e segmentos, já que requer um conhecimento baixo em programação para operá-lo e pode ser aplicada em diversos cenários. 

Eduardo Boni Pontes

Eduardo Boni Pontes

Compartilhe este artigo

Veja também